/> Πρωτεύς: (Des)enlaços

29 de novembro de 2009

(Des)enlaços

Alva-manhã epiderme de sob o vestido,
De sob o negro vestido, vertida:
Vigas-coxas do altar de Vênus.

2 comentários :

Gláucia disse...

Este poema tem uma força tão latente que lembra os poemas de Rimbaund....

Getulio disse...

Bem... Não conheço suficientemente Rimbaund para avaliar a semelhança, mas também gostei desse poema. Acho ele bem denso e, com o perdão da rima, tenso.