/> Πρωτεύς: Efemérides V

10 de novembro de 2010

Efemérides V

Há tempo...
Há sempre tempo
De ser o que não se pode.

Há tempos,
Paralelos e perfeitos:
Todos os universos possíveis.

Há tempo sempre
De fazer tudo que não;
De amar o quanto não;
Viver...; então
A Morte.

4 comentários :

Pobre esponja disse...

Sim: Há tempos!
Para a poesia, à moda de vinho, quanto mais velha melhor.
Há tempos para se rir dos imediatistas e acreditar nos que ainda escrevem poesias.

abç poeta
Pobre Esponja

ivanlantyer disse...

...se fez
...se amou
Que poesia!
Que poeta!
Brilhante como suas palavras se envolvem e são bem escolhidas.

Lucius disse...

Obrigado Pobre Esponja e Ivanlantyer. Semjam sempre bem vindos.

Calcanhar de Aquiles disse...

"No fundo o Tempo é uma eterna criança que não soube amadurecer.
Eu posso, ele não vai poder me esquecer."

Lendo seus versos, coloquei essa música para você.

Abração do amigo "Calcanhar" aqui.