/> Πρωτεύς: Naufrágio

28 de março de 2011

Naufrágio

Litogravura de  Manet para The Raven de Poe (1875)

O pássaro negro tornou aninhar-se no cadafalso.
Vigia, manhãs por vir, da justiça inalcançável,
O derradeiro lastro sobre a árvore do enforcado.

É também quando as nuvens dobram
E o cancioneiro do repouso, sobre a pedra, entoa
A balada dos esquecidos anos,
Ou quando o teto de metal da capela
Atravessa as tardes nubladas de verão
Que a preguiçosa maré encontra tua ilha, Circe.

Enquanto o céu atravessa a espiral do sonho
Alguma carne fria apodrece no ventre da terra.
O tempo também chega... Ambos somos
Nele, algum escolho que se deita lento.
Não é o tempo que corre e arrasta,
Mas o que se derrama por inteiro
Contra nós, sobre nós, até que o sejamos.

2 comentários :

Giselle disse...

Nossa que lindo! Muito tocante... e está de parabéns pela rádio! é ótima!

Getulio disse...

Obrigado, Giselle. A rádio é do blog "lagrimas psicodélica". Há um link para ele no fim da página se você tiver interesse em agregar ao seu blog.