/> Πρωτεύς: Rome - Querkraft

28 de julho de 2011

Rome - Querkraft

Ler o noticiário se transformou, ultimamente, numa incursão a terra do desconhecido, informe e aterrado absurdo, tal como o próprio Camus não o teria imaginado. Há muito tempo, os loucos desciam as águas turvas do esquecimento, hoje são eles a ficar nas margens enquanto seguimos o destino que outrora lhes
reservávamos.

Sobrevivemos, ao século XX, ao custo de algo mais do que a fonte de nossa crença.

Alimentamos uma permanente suspeita de tudo que existe; de todos que são homens, se sendo homens, são capazes de coisas humanas. Por isso tenho ouvido essa canção do Rome que fala sobre a matéria sutíl que preenche nossas vidas nestes tantos últimos anos: a indiferença.

Espero que me perdõem os que ainda cultivam muitas paixões, mas muitos de nós sabemos que "all passion spent..."




All passion spent
We stay deaf to everything
All lost shame
All words of peace have died away
Both on our lips and in our hearts
All passion spent...now.

["Das Gegenteil von Kunst...
Das Gegenteil von Kultur...
Das Gegenteil von Stolz...
Das Gegenteil von Liebe...
...ist die Gleichgültigkeit."]

So go on and fail me
Come on and break me for good
'Cause sometimes we feel alive
Why don't you fail me?
Go on and break me once more
Let's combine in the dance of war

Either left to rot in indifference
Or left to drown in despair
You shall turn 'round
And you shall die from this life
And be reborn to mine...now.

So go on and fail me
Come on and break me for good
'Cause sometimes we feel alive
Why don't you fail me?
Go on and break me once more
Let's combine in the dance of war

["Sono l'oblio e il ricordo
sono il pugnale e la lama
sono il midollo
sono nero
sono bianco
sono l'indifferenza
sono il lutto
sono il velo
sono la nebbia
...e io sono la morte."]

Go on and fail me
Come on and break me once more
'Cause sometimes we come alive
To be more than uninvolved
And all so cold and cruel
But most of all so ugly and imprecise

Oh, I felt like I was going to dive
Into a cruel sea of lust when
She said: "Saviours, they come and go."

Oh, I felt like I was going to dive
Into a cruel sea of lust when
She said: "Saviours, they come and go."

So why don't you fail me?
Come on and break me for good
'Cause sometimes we feel alive
Why don't you fail me?
Go on and break me once more
Let's combine in the dance of war

***

PS: Agradeço, mesmo sem saber a quem, à simpática pessoa que traduziu, legendou e disponibilizou o video no Youtube. Os fãs do neofolk em Terra de Santa Cruz agradecem.

2 comentários :

Be Fontana disse...

Amei o blog, simplesmente sensacional *-*
Continue assim, visitarei sempre.
Uma boa semana, te sigo.
Kisses&Kisses
Be Fontana*

Getulio disse...

Muito obrigado, Be... fico muito feliz com o elogio. Volte sempre!!!